Vereadores discutem temas relevantes com a Secretaria de Educação

por pel publicado 17/02/2019 09h04, última modificação 17/02/2019 09h04

Os vereadores que compõem a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Pedro Leopoldo, Paulinho da Farmácia, Marcus Marinho, Alex da Farmácia e Eldir Batista (Baixinho) se reuniram com a equipe da Secretaria Municipal de Educação para esclarecimentos e reivindicações de monitores e educadores do município. Eles ainda esclareceram dúvidas sobre Fundeb, processos seletivos e a biblioteca municipal.

Foram debatidos no encontro à questão da carga horário de 35 horas para 40 sem equiparação salarial após aprovação do novo plano, também o piso salarial da classe, analise do item 11 da tabela de avaliação de títulos entre outros temas.

De acordo com o vereador Marcus Marinho, a reunião foi bastante produtiva. Ele esclarece detalhes do encontro. “Sobre a questão da carga horária, falou que o monitor não é contabilizado hora-aula e não tem como fazer reajuste em razão da carga horária. Este, inclusive, foi um ponto que não concordarmos. O piso está dentro do pago nacionalmente”, disse.

A questão das férias para os contratados foi um assunto também bastante discutido, afinal, esses profissionais são contratados por 12 meses e ao término é feito um novo contrato. “A respeito das férias, não tem como prorrogar o contrato, pois senão teria gasto maior para os monitores, sendo que na verdade eles ficam em janeiro sem trabalhar, e o munício teria um gasto”, acrescentou Marinho.

O parlamentar ainda conversou sobre a questão de inscrições aos sábados ou em tempo integral, por causa da carga horária dos monitores. “A respeito das inscrições aos sábados e tempo integral, isso pode ser feito para facilitar, mas mesmo estando no horário e serviço não são impedidos de sair”, completou.

Sobre o transporte público universitário, a Secretaria de Educação lamentou que a situação não tivesse espaço no orçamento.

O vereador Marcus Marinho ainda comentou a questão da mudança de endereço da biblioteca pública e teve a resposta que a Secretaria de Cultura pode dar mais detalhes sobre o assunto.